O que saber sobre Trombose Venosa Profunda (TVP)

Trombose Venosa Profunda

O que é Trombose Venosa?

É uma doença causada pela coagulação do sangue dentro das veias com a formação de um trombo. É mais freqüente ocorrer nas veias das pernas e coxas, provocando uma reação inflamatória do vaso. Uma vez formados os trombos (sangue coagulado) nesses locais, eles podem migrar e ir até os pulmões levando ao tão temido tromboembolismo pulmonar, que felizmente é raro.

O que causa a Trombose Venosa?

A causa da Trombose Venosa está relacionada a três fatores:

• Estase venosa:

Situações em que há diminuição da velocidade da circulação do sangue. Por exemplo: pessoas acamadas, cirurgias prolongadas, posição sentada por muito tempo (viagens longas em espaços reduzidos – avião, ônibus)

• Lesão do vaso:

O vaso sanguíneo normal possui paredes internas lisas por onde o sangue passa sem coagular (como uma mangueira por onde flui a água). Lesões, rupturas na parede interna do vaso propiciam a formação de trombos, como por exemplo, em traumas, infecções, medicações endovenosas.

• Hipercoagulabilidade:

Situações em que o sangue fica mais suscetível á formação de coágulos espontâneos, como por exemplo, tumores, gravidez, uso de anticoncepcionais, diabete, doenças do sangue.

Que tipos de trombose existem nas veias da perna?

Quando a Trombose Venosa ocorre nas veias superficiais da perna é chamada de Trombose Venosa Superficial , esse tipo de trombose é muito freqüente em pacientes portadores de varizes nos membros inferiores. É fácil de ser notada, pois ocorre vermelhidão, endurecimento e dor local sendo a maioria de fácil tratamento. Quando a trombose ocorre nas veias profundas das pernas, aquelas que ficam nos músculos, chamamos de Trombose Venosa Profunda , na maioria das vezes, não é facilmente diagnosticada, sendo que em 50% dos casos não apresenta sinais e sintomas característicos.

Quais são os sintomas da Trombose?

Os sintomas mais freqüentes da Trombose Venosa Profunda são:

Dor intensa, inchaço e endurecimento do músculo da perna com aumento de temperatura.

Por que as pessoas desenvolvem a Trombose?

Determinadas pessoas possuem fatores de risco genético, que são as Trombofilias . Existem também fatores externos que desencadeiam Trombose:

Idade (maior de 40 anos); obesidade, indivíduos que já tiveram trombose, imobilização

( indivíduos confinados na cama, em casa ou no hospital por alguma doença); câncer, insuficiência cardíaca, infarto do miocárdio, gravidez, uso de anticoncepcional, infecção e doenças que causam alterações da coagulação (de causa genética ou adquirida).

Além disso, as cirurgias são consideradas um dos fatores mais importantes quando as de grande porte e de longa duração(ex.: cirurgias ortopédicas e abdominais).

Como se faz o diagnóstico da Trombose?

O exame clínico pode ser pouco característico em quase 50% no diagnóstico. Hoje, com o Duplex Scan Venoso e um experiente examinador é possível um diagnóstico seguro da Trombose Venosa Profunda, e nos casos em que há dúvida, a Flebografia, apesar de ser um exame invasivo, fecha o diagnóstico.

Como a Trombose pode ser evitada?

A prevenção da Trombose pode ser feita com métodos farmacológicos, através de um fármaco injetável chamado heparina nos casos de médio e alto risco. E o uso de métodos físicos como levantando e andando precocemente após as cirurgias, movimentando as pernas, elevando os membros inferiores dos pacientes durante o período que estiver acamado e finalmente o uso de uma meia elástica anti-trombo de cor branca sem ponteira, ¾ ou 7/8 , com 18-23 mmHg no tornozelo. Estes métodos são indicados ao pacientes dependendo do risco de desenvolver Trombose Venosa.

Como se trata a Trombose?

O tratamento mais indicado é o uso de anticoagulante injetável, conhecido como heparina, que pode ser endovenoso ou subcutâneo numa fase inicial no hospital. Após 7 a 10 dias, o paciente inicia o uso de anticoagulante oral por um período de 3 a 6 meses. O repouso é muito importante na fase inicial para combater o edema. A fisioterapia deve ser iniciada com o paciente anticoagulado, para melhorar o retorno venoso e combater o edema ou inchaço. Para o paciente retornar as atividades, deve-se indicar uma meia elástica, ¾ ou 7/8, com uma compressão de 30-40 mmHg, para impedir o edema e melhorar o fluxo venoso na perna.